1º Abraçando o Brasil


Participação da Facção Teresina no evento promovido pelo MC Bodes do Asfalto denominado 1º Abraçando o Brasil. Nossa missão era levar a bandeira do evento até a cidade de Fortaleza/CE.

Seguem relatos dos participantes Júlio Borges e Hênderson Lamarck.

Data: 03 a 06 de junho de 2011.

Texto de Júlio Borges

Dia 03/06: o relógio marca 01h10, essa foi a primeira vez que acordei dentre várias outras, a ansiedade não me deixou dormir direito, mas tudo bem, o que importa é que logo mais estaremos escrevendo nosso nome no 1º Abraçando o Brasil. Enfim o despertador tocou, são 05h30, combinamos de sair às 06h00. Eu e o mano Hênderson Lamarck tínhamos que rodar 340 km até Teresina, onde iríamos nos juntar com os demais Irmãos. Nossa partida para Fortaleza estar marcado para as 14h00. Chegamos as 11h00 em Teresina.

As 14h00 começamos a chegar no local marcado, fizemos algumas fotos com a bandeira oficial do evento e discutimos algumas regras de condução e segurança em viagem em grupo. Como eu era o motociclista com mais km rodado no grupo, fiquei responsável por ser o ponteiro do bonde. Nosso bonde foi formado pelos Irmãos: Júlio (MT-03), Abiezel (Shadow), Chayssy (CB300R) e Hênderson (Fazer), contamos também com a presença do amigo Rudney (GSX-R750).

Saímos de Teresina às 14h40 com uma velocidade de cruzeiro entre 110 a 120 km/h. Paramos em Piripiri (160 km) onde fomos recebidos pelo BDA Mário Henrique, fizemos uma pequena pausa para o lanche e seguimos para Tianguá-CE, onde planejamos pernoitar. Para manter o clima de aventura, acampamos no Sítio do Bosco (http://www.sitiodobosco.com.br/home/index.php), no alto da Serra da Ibiapaba. O BDA Antônio Pernambucano e cunhada, integrantes da Facção Maranhão, nos esperava em Tianguá, de onde nos acompanhou até Fortaleza no carro de apoio. Antes de dormir tivemos que tomar uma garrafa de vinho para nos preparar para a noite de frio que nos esperava, afinal de contas em Teresina faz 40ºC na sombra… rss…

Dia 04/06: a serra achou pouco o frio e resolveu nos brindar com uma bela noite de chuva. Foi o jeito apelar para a roupa de cordura… rss… só faltei dormir de bota, mas estava de meia… rss… Tínhamos combinado de levantar as 06h00, mas quem disse que a chuva deixou! ficamos ali na barraca curtindo a chuva e a fumaça de neblina que cobria toda a serra. Viemos sair de Tianguá aproximadamente as 09h00. Após um grande trecho de buracos nas estradas do Ceará chegamos em Fortaleza às 13h30. Fomos recepcionados pelos Irmãos da Facção Fortaleza organizada pelo mano Cbob. Após algumas fotos e apresentações seguimos para o hotel e logo em seguida fomos almoçar com os Irmãos de Fortaleza na barraca CrocoBeach na praia do futuro. Após o almoço fizemos a entrega oficial da bandeira do evento para a Facção Fortaleza.

Dia 05/06: a noite de sono não foi suficiente para o descanso que o corpo merecia, mas tínhamos que voltar para o nosso querido Piauí. Mudamos o percurso de volta para evitar o trecho intrafegável que pegamos na ida. Passamos por Canindé-CE, cidade que tem a 2ª maior peregrinação no mundo devotada a São Francisco e é considera o maior santuário franciscano no continente americano. Tiramos algumas fotos, compramos algumas lembranças e seguimos viagem. Na beira da estrada vimos muitas pessoas idosas e crianças com a mão estendida na esperança de que algum viajante pare e lhe dê uma esmola. Fico a pensar com meu capacete, mantendo a velocidade constante, olhando pelo retrovisor para ter a certeza de que meus Irmãos estão ok, fico triste pela cena que se repete por muitos quilômetros, aqueles idosos com as caras abatidas, as crianças sentadas na beira da estrada, que ao nos ver passar logo se levantam e ficam admirando, não resisto e aceno para algumas que respondem acenando com os braços e com aquele sorriso infantil no rosto. Agradeço ao Grande Arquiteto por ter saúde, emprego e condição de oferecer uma vida digna a minha família, por poder manter nosso hobby e junto com os Irmãos viajar e conhecer outros Irmãos.

Há uns 20 km depois de Canindé passamos um grande susto. Passamos por uma curva bem acentuada e o mano Chayssy terminou passando direto e entrando mata a dentro. Eu e o mano Hênderson somos treinados todos os anos em primeiros socorros e brigada de combate a incêndio, pois trabalhamos em área de risco e distante da capital, por conta disso conseguimos manter a calma e fazer o atendimento. Colocamos um Irmão antes e outro depois da curva para diminuir a velocidade dos carros e garantir nossa segurança e fomos avaliar o mano Chayssy. Depois de avaliado e constatado que não houve nenhuma fratura e que estava tudo bem com ele, retiramos ele e a moto do local. Graças ao Grande Arquiteto nosso Irmão saiu sem nenhuma escoriação, e a moto apenas quebrou o retrovisor direito. Depois de nos recuperar do susto seguimos viagem. Chegamos em Sobral-CE aproximadamente ao meio dia, onde almoçamos um delicioso churrasco e uma peixada no restaurante Chicão 2000. Atendimento e comida nota 10. Passando por Piripiri-PI fomos recebidos dessa vez pelo mano Françõis que quase fez a viagem com a gente, mas as obrigações no mundo profano terminou atrapalhando. As 19h00 chegamos em Teresina e fomos recebidos pelas cunhadas e sobrinhos que nos esperava para jantar e comemorar o sucesso da nossa missão. Assim termina a participação da Facção Teresina no 1º Abraçando o Brasil, a missão agora está com os Irmãos de Fortaleza, que já ficaram planejando a viagem do sábado seguinte.

Dia 06/06: nossa missão terminou, mas eu e o mano Hênderson ainda temos que rodar 340 km para Guadalupe-PI. Estamos esgotados fisicamente, mas orgulhosos por termos feito parte deste evento que a meses vínhamos planejando. Nosso percurso foi bastante cansativo mas chegamos em paz. O hodômetro marca 2.057 km de muita poeira.

Nós Fazemos Poeira…

Júlio Borges

.’.     .’.     .’.     .’.     .’.     .’.     .’.     .’.     .’.     .’.     .’.     .’.     .’.

Texto de Hênderson Lamarck

Verdadeiramente o projeto do Abraçando o Brasil é um projeto iluminado.

Saímos de Guadalupe na sexta-feira e dormimos em Tianguá. Algo extremamente inusitado, pois dormimos em barracas. Foi a primeira vez que dormi em uma barraca. No início relutei em aceitar essa ideia, mas embuído do espírito de aventura topei. No dia seguinte, depois de passar por um estrada muito esburacada chegamos a Fortaleza onde tivemos a atenção dos IIr.’. daquele Or.’.. Cumprimos nossa missão!

No domingo iniciamos nossa viagem de volta, passamos por Canindé, um lugar muito visitado pelo católicos e que eu sempre tive muita vontade de conhecer. Após a benção de São Francisco seguimos viagem. Tomamos o maior susto, nosso Ir.’. Chayssy levou um tombo, mas estávamos sob a proteção do nosso GADU, nosso mano nada sofreu e sua companheira de viagem quase não foi danificada, rimos muito depois mas na hora a apreensão foi muita. Chegamos em Teresina onde fomos magnificamente recepcionados por algumas cunhadas.

Na segunda-feira completamos nossa viagem e chegamos em Guadalupe. Verdadeiramente, chegamos exaustos. Mas, sabe de uma coisa, mano Maçaneiro, já estamos fisicamente recuperados e nossa experiência foi magnífica. A turma que viajou conosco também foi uma turma maravilhosa, sob a batuta do mano Júlio que coordenou o bonde, todos se comportaram de maneira impecável.

Hoje, olho para o que fizemos e me sinto orgulhoso de ter participado e devo muito disso ao mano Júlio, valeu meu Ir.’.. Já suspeitava que essas viagens são interessantes, mas a minha expectativa foi superada de longe. Deixo aqui também meu reconhecimento ao idealizador desse projeto.

Agora, não passa pela minha cabeça perder outra oportunidade de fazer poeira, principalmente na companhia desses bodes… esses caras são demais!

TFA

Hênderson Lamarck

 

Tags:, , ,

Comentários & Respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *